Detalhes da Notícia

Fim do silêncio: Uber muda política interna para casos de violência sexual

Fim do silêncio: Uber muda política interna para casos de violência sexual

Data: 21/05/2018

A Uber divulgou uma mudança importante com relação à abordagem judicial de casos de violência sexual na companhia. As vítimas não precisarão mais assinar acordos de confidencialidade e terão liberdade para levar os casos para fora da esfera privada, acionando a Justiça. O movimento aconteceu após uma ex-funcionária, Susan Fowler, escrever ao The New York Times sugerindo que, para combater o problema, era preciso acabar com as resoluções exclusivamente por meio de arbitragem. 

N o Direito, essa é uma forma de lidar com conflitos na qual o Poder Judiciário não participa. Os acordos fora dos tribunais costumam acontecer juntamente com os de confidencialidade e são uma maneira de proteger os envolvidos, garantindo disputas mais rápidas, mas também silenciosas. A ideia das novas medidas, portanto, é que as pessoas afligidas ganhem mais controle e autonomia para falar sobre seus traumas.

1

Após um senador e catorze mulheres que estão processando a Uber escreverem cartas abertas ao CEO Dara Khosrowshahi, pedindo o fim da política atual, foi decidido que, especificamente para os casos de assédio sexual, será dada a possibilidade de escolha. Isso se estende a passageiros, motoristas e funcionários da empresa que sejam atingidos por esse tipo de crime no futuro.  

Já Tony West, diretor jurídico da Uber, colocou que a arbitragem não é uma opção ruim e muitas vezes pode ser mais benéfica para as partes. Entretanto, para esse tipo de alegação especialmente difícil para os sobreviventes, foi deliberado que busquem o caminho que desejarem. Além disso, a companhia se comprometeu a divulgar relatórios acerca desse tipo de incidente periodicamente. 

Compartilhe essa notícia:

Mais Notícias

44% dos “usuários gratuitos” da Netflix dizem que donos de contas não sabem

44% dos “usuários gratuitos” da Netflix dizem que donos de contas não sabem

O CEO da Netflix, Reed Hastings, já afirmou publicamente que sua empresa não se importa com o fato de clientes compartilharem seus logins do serviço de streaming com outras p...
Google Play ganha novas funções de gerenciamento de assinaturas

Google Play ganha novas funções de gerenciamento de assinaturas

Aplicativos que não podem ser adquiridos com uma compra única, mas sim apostam no modelo de assinatura para continuar funcionando, se tornam cada vez mais comuns. Isso pode resultar em a...
Mito ou verdade: hackers podem ler minhas conversas no WhatsApp?

Mito ou verdade: hackers podem ler minhas conversas no WhatsApp?

As conversas no WhatsApp possuem criptografia de ponta-a-ponta. Isso significa que tudo que você envia dentro do aplicativo está seguro e inviolável: nem a justiça cons...